Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/11/20 às 17h40 - Atualizado em 10/11/20 às 17h48

População contribui para aprimorar projeto de concessão da Rodoviária do Plano

COMPARTILHAR

Semob realiza audiência pública e prazo para sugestões continua até 24 de novembro

 

Os estudos para a concessão da gestão do complexo da Rodoviária do Plano Piloto foram debatidos nesta terça-feira (10) em audiência pública realizada pela Secretaria de Transporte e Mobilidade. Além das participações na reunião presencial, a Semob recebeu contribuições por meio de mensagens de WhatsApp e e-mail. A consulta à população permanece aberta, e o prazo para participar vai até o próximo dia 24 de novembro.

 

O Secretário Executivo de Mobilidade, Luiz Felipe Cardoso, destacou que a audiência expôs a importância da rodoviária para as pessoas que trabalham e utilizam o terminal. Segundo ele, a concessão também será importante, pois a proposta chegou a ser debatida em governos anteriores e já se passaram 15 ou 20 anos com a rodoviária se deteriorando.

 

“Temos um caminho a percorrer com várias etapas e estamos abertos ao debate, mas antes é necessário que todos conheçam os estudos para conversarmos e chegarmos a um denominador e assim construirmos um projeto para melhorar a rodoviária”, disse Luiz Felipe.

 

Investimentos e empregos

 

A concessão da rodoviária será na modalidade de concorrência pelo critério de maior oferta, a ser paga pela concessionária ao GDF. O projeto prevê um contrato com duração de 20 anos, com investimento de R$ 190,6 milhões em obras e R$ 390,0 milhões em serviços que deverão priorizar a melhoria da mobilidade de passageiros e veículos na rodoviária, através da adequação do modelo operacional. A previsão é de abertura de 1.078 empregos nas obras projetadas e a criação de 164 empregos na administração do terminal.

 

Durante a audiência, foram apresentadas as simulações da modernização da rodoviária, com a criação imediata de 2 novas plataformas para a estação do BRT. O objetivo é aumentar a capacidade de trânsito no terminal e melhorar a mobilidade dos pedestres e usuários dos ônibus.  Para a segunda fase, foi proposto um tratamento dedicado aos pedestres no pavimento superior, com a construção de calçadas cobertas (marquise).

 

Durante a audiência, também foram apresentados os diagnósticos da situação estrutural e da edificação, além de propostas para as obras e para a solução dos problemas levantados. A concessionária também deverá cumprir um programa de manutenção programado até o final da concessão, adequado à importância da Rodoviária.

 

Para financiar esses investimentos, a concessionária poderá explorar os estacionamentos da plataforma, os painéis de informação com publicidade, poderá cobrar a taxa de acostagem dos ônibus que utilizam o terminal e alugar os espaços comerciais.

 

Pedestre é a prioridade

 

As obras propostas buscam aumentar a mobilidade e o conforto dos pedestres, com a regularização das calçadas e sinalizações. Esse conceito deverá ser considerado desde o início da concessão, e deverá expandir a mobilidade ao longo dos 6 primeiros anos, culminando com a construção da marquise que integrará os lados Norte e Sul, Leste e Oeste da plataforma superior, com expansão da área do passeio público.

 

Segurança e operação integrados

 

Está prevista a construção de um Centro de Controle Operacional (CCO) onde todas as informações sobre a operação e segurança da rodoviária, obtidas pelas câmeras de segurança e pelos vigilantes e fiscais, deverão ser integradas, e essa integração inclusive deverá se dar com os órgãos de segurança pública.

 

Limpeza e manutenção

 

A rodoviária contará com equipes trabalhando 24 horas por dia na limpeza dos banheiros, varrição, recolhimento do lixo e lavagem das áreas comuns. Os elevadores contarão com operadores e os usuários com mobilidade reduzida receberão apoio dos prestadores de serviço quando solicitado.

 

Consulta e audiência pública

 

Ao debater o projeto com a população, a Semob colhe subsídios para aprimorar os estudos de modelagem técnica, econômico-financeira e jurídica, e também das minutas do edital e do contrato de concessão.

A consulta pública permanecerá aberta até o próximo dia 24 de novembro. Quem estiver interessado em participar poderá enviar suas contribuições por escrito para o e-mail consultarodoviaria@semob.df.gov.br.

 

As sugestões também poderão ser protocoladas ou encaminhadas via correios para o endereço: Setor de Áreas Isoladas Norte – SAIN – Estação Rodoferroviária Sobreloja Ala Sul – CEP: 70631-900, Brasília-DF – em dias úteis de 8h00 às 12h00 e de 13h00 às 18h00.

 

A audiência pública desta terça-feira (10) foi transmitida em tempo real no canal de Youtube da Secretaria, que tem mais de 1.700 inscritos. Todas as contribuições recebidas serão avaliadas e o relatório será publicado na página da Semob.

 

Todo a matéria que está sendo debatida e as instruções para participação dos interessados na consulta pública foram divulgadas no endereço eletrônico semob.df.gov.br e ficarão disponíveis até o encerramento do processo.