Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/05/20 às 19h12 - Atualizado em 8/05/20 às 19h13

GDF distribuiu mais de 90 mil máscaras nos terminais rodoviários e no metrô

COMPARTILHAR

           Objetivo é oferecer proteção às pessoas que não tinham acesso ao equipamento

 

A Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob) já distribuiu mais de 90.700 máscaras faciais de proteção individual (EPIs) aos usuários do transporte público coletivo do Distrito Federal. Em levantamento feito nesta sexta-feira (8), nos 21 terminais rodoviários onde ocorre a distribuição, foram entregues 70.500 máscaras. Em dez estações do metrô, foram distribuídas 20.275 máscaras aos passageiros.

 

“É um trabalho para ajudar a população mais carente, que não tem como comprar uma máscara, a ter como se proteger da propagação do coronavírus”, explicou o secretário de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro.

 

“O governo quer que 100% das pessoas tenham e usem a máscara para proteção. Quanto mais a gente facilitar o acesso a essas máscaras, sobretudo àquelas pessoas carentes, melhor para que diminua o risco de proliferação (da Covid-19), principalmente entre as pessoas que precisam utilizar o transporte público”, disse.

O acessório tem sido bem aceito e bastante procurado nos postos de distribuição.

 

A dona de casa Marta Alves, moradora de Planaltina, disse que foi até o terminal rodoviário apenas para receber a máscara. De uma família com 5 pessoas, ela contou que dispunha somente de uma máscara para cada um, e por isso pediu para levar algumas a mais para dar aos filhos. “Eu fico mais em casa, mas meus filhos precisam usar o transporte todo dia”, explicou.

 

A partir desta segunda-feira (11), o GDF irá fiscalizar o uso obrigatório de máscaras de proteção individual nas vias, estabelecimentos empresariais e no transporte público coletivo do Distrito Federal. A exigência foi estabelecida no decreto 40.648/2020, com obrigatoriedade a partir de 30 de abril. Antes de começar a fiscalização, o GDF decidiu realizar ampla distribuição do equipamento.

 

A distribuição das máscaras continuará enquanto durar os estoques do GDF. As máscaras são entregues às pessoas que ainda não tiveram acesso ao equipamento. Cada pessoa pode receber até duas unidades. São máscaras de tecido, laváveis e reutilizáveis, indispensáveis como instrumento de proteção ao novo coronavírus.

 

“A máscara é importante igual lavar as mãos e passar álcool em gel”, comparou a vendedora ambulante Maria Amélia da Silva. Praticamente sem trabalhar por medo da pandemia, ela conta que está sem dinheiro para adquirir as máscaras para a família. “Eu vim (ao banco) tentar receber o benefício (pensão), vou levar uma máscara para minha filha”, afirmou.

 

Para reforçar as ações de combate à Covid-19, a Semob está fiscalizando o cumprimento das regras por parte das empresas que operam o transporte público do Distrito Federal. Os motoristas, cobradores e operadores do metrô devem trabalhar usando máscaras e devem exigir que o passageiro utilize o equipamento desde o momento do embarque, durante a viagem, até o desembarque.

 

A fim de evitar complicações e também para contribuir com os passageiros, muitos cobradores estão percorrendo os terminais e indo até as filas de embarque para oferecer máscaras para quem ainda não recebeu.

 

André Oliveira Santos, que trabalha numa empresa de materiais de construção, foi um dos que receberam a máscara quando passava pelo terminal de Planaltina. “Estou indo ao banco e passei aqui para pegar uma máscara para mim e outra para minha esposa, pois estou sem condições pra comprar agora”. Sabedor da obrigatoriedade, ele reconhece a importância do uso do EPI. “Não é questão dizer que não possa pegar a doença, mas (a máscara) ameniza muito, né”, afirmou.

 

Para alertar os passageiros sobre a importância do uso de máscaras faciais no transporte coletivo, a Semob está veiculando, em suas redes sociais e nas televisões dos ônibus e do metrô, uma campanha informando também sobre a obrigatoriedade de uso do acessório.

 

A Secretaria também está fiscalizando as empresas para que todas façam a higienização das partes internas dos ônibus, onde os passageiros colocam as mãos, tais como corrimãos, barras de apoio de sustentação, roletas, apoios de porta, entre outros, antes do início de cada viagem.