Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/03/17 às 15h34 - Atualizado em 19/09/19 às 15h48

DFTrans completa 25 anos de serviços prestados para o transporte urbano

COMPARTILHAR








O Transporte Urbano do Distrito Federal se prepara para gerir um moderno sistema de bilhetagem, integração e rastreamento de ônibus a ser implantado em Brasília 

A autarquia Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) completou 25 anos no dia 28 de fevereiro. O órgão foi criado por meio da Lei nº 241 de 1992 e permaneceu com o nome Departamento Metropolitano de Transportes Urbanos (DMTU) até 2003. 

O DFTrans foi instituído com o objetivo de gerir o Sistema de Transporte Público Coletivo do DF para atender as exigências da moderna estrutura dos órgãos que compõem o complexo administrativo do DF e estruturar uma entidade de gerência dos transportes públicos coletivos mais ágil, capaz de acompanhar a nova dinâmica operacional de um sistema integrado e informatizado.

A autarquia trabalha para garantir à população um transporte eficiente e seguro, colocando em prática o direito de ir e vir do cidadão, com conforto e no menor tempo possível, além de ter como atribuições o planejamento das linhas, a avaliação de desempenho, a caracterização da demanda e da oferta de serviços, a elaboração dos estudos dos custos de serviços e dos níveis tarifários, a gestão e o controle dos serviços públicos de passageiros.

Para o diretor geral, Léo Carlos Cruz, o DFTrans se prepara para gerir um sistema moderno de integração, bilhetagem e rastreamento do transporte público necessário para a Capital Federal. “Por uma determinação do governador Rodrigo Rollemberg essa antiga demanda de melhoria na gestão está se tornando realidade”, afirma. 

Bilhetagem automática 

No dia 16 de fevereiro o governador Rodrigo Rollemberg assinou o decreto que normatizou a implantação do sistema de bilhetagem automática no Distrito Federal. O sistema prevê que em até 180 dias as empresas estarão gerenciando a venda das passagens integradas. Este modelo de venda se assemelha ao que ocorre com as passagens aéreas e proporcionará a pulverização dos postos de venda.

 A ideia é que o usuário carregue seu cartão pela internet e em comércios locais como padarias e farmácias, como acontece na colocação de crédito em celulares. O carregamento facilitado dos cartões tende e diminuir a presença de dinheiro em espécie nos veículos e assim proporcionar mais segurança para usuários e trabalhadores do transporte público coletivo. 

Também está previsto o rastreamento por GPS dos veículos, proporcionando mais segurança e pontualidade para os usuários. Está sendo desenvolvido um aplicativo que estará à disposição do usuário, permitindo o acompanhamento dos horários dos ônibus com mais exatidão. Essa tecnologia fará com que o passageiro não espere por muito tempo nas paradas de ônibus. O aplicativo também terá um botão de pânico para o acionamento da polícia pelo usuário, caso haja algum perigo. 

O Governo de Brasília pretende também integrar as bicicletas no Bilhete Único, uma das medidas mais inovadoras na área de mobilidade. Com R$ 5,00 e em um espaço de tempo de duas horas, o usuário poderá utilizar ônibus, metrô e bicicleta para chegar ao seu destino, por exemplo. 

Uma outra inovação é a biometria fácil para coibir fraudes em gratuidades. Com ela ficará mais eficaz a fiscalização do uso indevido de cartões em benefícios como o Passe Livre de Estudante e de Portadores de Necessidades Especiais.