Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/03/15 às 13h29 - Atualizado em 7/11/18 às 16h05

Empresas de ônibus paralisadas receberam repasse do governo

COMPARTILHAR

A Secretária de Mobilidade trabalha para combater a toda e qualquer ação que possa causar transtornos à locomoção da população do Distrito Federal. Para tanto se esforça a realizar os pagamentos devidos às empresas concessionárias e cooperativas nos prazos. O DFTrans transferiu recursos para todas as empresas e cooperativa que operam o transporte público as, na quinta-feira, 5 de março, às 10 horas.
No caso específico das empresas que pararam nesta sexta-feira, prejudicando pelo menos 500 mil passageiros, os repasses foram de R$ 3,528 milhões à Marechal e de R$ 3,564 milhões para a Pioneira.
Como a verba já foi repassada, a questão deve ser resolvida entre os empresários e os empregados.
O transporte público é um serviço essencial, regido por regras e legislação específica, e não deve ter as suas atividades suspensas. Técnicos da Secretária e do DFtrans avaliam os reflexos da interrupção que causou transtornos no trânsito durante boa parte da manhã. O intuito é evitar novos transtornos ao cidadão do Distrito Federal.
A Secretaria de Mobilidade presta esclarecimentos sobre a atual situação do sistema de transporte público, em entrevista coletiva, hoje, às 15 horas, no gabinete do secretário Carlos Tomé, no 15º andar do anexo do Buriti.

Paralisação abusiva
Motoristas, cobradores e trabalhadores da manutenção das empresas Marechal e Pioneira cruzaram os braços no início da manhã desta sexta-feira. Os profissionais alegam não ter recebido o salário de fevereiro, que seria depositado ontem.
A Viação Pioneira conta com 640 ônibus distribuídos pelas seguintes regiões administrativas: Itapoã, Paranoá, Jardim Botânico, Lago Sul, Candangolândia, Park Way, Santa Maria, São Sebastião e Gama. Já os 464 veículos da frota da Viação Marechal atendem a parte de Taguatinga e do Park Way, além de Ceilândia, Guará e Águas Claras.
Por meio da assessoria de imprensa, a Marechal disse considerar a paralisação abusiva por ter comunicado ainda ontem aos trabalhadores que o pagamento seria feito na manhã de hoje. Para a empresa, o sindicato da categoria não demonstrou preocupação com a população que utiliza o sistema de transporte público. Também pela assessoria, a Pioneira informou que o valor repassado pelo DFTrans não foi suficiente para pagar aos rodoviários e fornecedores. A empresa alega que tem a maior folha de pagamento do sistema. Além disso, opera o BRT, que ainda não cobra passagem dos usuários.
Segundo o diretor de imprensa do Sindicato dos Rodoviários, João de Jesus, os ônibus da Marechal devem voltar a circular ainda na manhã de hoje, caso se confirme o depósito dos salários. Os tíquetes-alimentação teriam sido pagos na tarde de ontem. A Pioneira não teria feito nenhum repasse, ainda conforme Jesus, que estima em 2 mil o número de rodoviários paralisados. “Os trabalhadores sempre deram o crédito para as empresas de trabalhar até o pagamento entrar. Mas devido a problemas recentes de atrasos, não esperamos mais. Não pagou, a gente cruza os braços”, explicou o diretor.

Leia também...