Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/10/17 às 14h25 - Atualizado em 22/11/17 às 18h05

Perguntas Frequentes da SEMOB

Qual o preço da tarifa do taxi?

Os valores utilizados para cálculo são:

  • Bandeirada: R$ 5,24. (valor de partida)
  • Quilômetro rodado: R$ 2,85 (bandeira 1) e R$ 3,66 (bandeira 2).
  • O valor da hora parada R$ 31,72.

(Valores em vigor desde 17/03/2016.)

 

Quais são os possíveis valores adicionais na tarifa do táxi?

São incorporados à bandeirada e ao quilômetro rodado (bandeira 1), no período das 6h às 20h, de segunda-feira a sexta-feira, os seguintes adicionais:

 

  • I – bandeira 2, correspondente ao valor do quilômetro rodado na bandeira 1 acrescido de até cinquenta por cento, das vinte horas de um dia às seis horas do dia seguinte, de segunda-feira a sexta-feira, durante as vinte e quatro horas dos sábados, domingos e feriados, em vias não pavimentadas e quando houver mais de três passageiros (não computados os menores de sete anos).
  • II – dez por cento do valor da corrida, até o limite de cinquenta por cento do valor da corrida, para cada volume de bagagem que exceder a uma mala normal e dois volumes de mão, por veículo.
  • III – hora parada, correspondente ao valor marcado pelo taxímetro por ocasião da espera do passageiro e quando o veículo enfrentar congestionamento de trânsito.

 

Como são definidos os pontos e estacionamentos de táxi?

Compete a Secretaria de Estado de Mobilidade a definição e disciplina da utilização dos pontos de táxi e estacionamentos e ao Governo do Distrito Federal a sua edificação, se for o caso.

  • Os pontos de táxi e estacionamentos são livres e gratuitos e é obrigatória a reserva e demarcação de área para ponto de táxi em frente às edificações de grande porte em que ocorram atividades de comércio, de prestação de serviços, de esporte, lazer e cultura, bem como próxima a repartições públicas ou a local de grande fluxo de pessoas.
  • Todas as despesas pela utilização dos pontos de táxi ou estacionamentos são de responsabilidade dos autorizatários (taxistas) que deles se utilizarem, ainda que por seus motoristas auxiliares.
  •  

Quais são os assentos preferenciais nos ônibus?

Conforme a Lei nº 5.984, publicada no Diário Oficial do Distrito Federal de 01/09/2017, todos os assentos dos ônibus passaram a ser de prioridade para idosos (pessoas a partir de 60 anos), gestante e passageiro com criança de colo, com deficiência ou com mobilidade reduzida. A norma começou a valer a partir de novembro. A configuração atual dos assentos preferenciais foi mantida, ou seja, não será necessário estender a identificação para os outros assentos. No entanto, de acordo com a Lei, avisos de prioridade devem ser afixados nos veículos em locais de fácil visualização.. Inicialmente, a medida é essencialmente educativa.

 

Onde posso consultar horários e linhas de ônibus?

A consulta de horários e linhas de ônibus pode ser feita pelo sistema “DF no Ponto” disponibilizado no site do DFTrans, autarquia criada pela Lei 241/1992 que tem, dentre outras atribuições, o planejamento das linhas, a avaliação de desempenho, a caracterização da demanda e da oferta de serviços, a elaboração dos estudos dos custos de serviços e dos níveis tarifários, a gestão e o controle dos serviços públicos de passageiros.

 

Quais os ônibus podem parar na Galeria dos Estados?

Estão autorizados a parar no ponto de ônibus da Galeria dos Estados apenas os veículos cujas linhas seguem pela Plataforma Superior da Rodoviária. Estudo realizado pelo DFTrans, em parceria  com Detran/DF, determinou que as linhas que vêm pelo Eixo L Sul com destino à Rodoviária do Plano Piloto estão proibidas de parar no ponto de ônibus da Galeria dos Estados, devido ao risco iminente de acidentes por conta da conversão dos ônibus para a faixa da esquerda. A última parada para o desembarque de passageiros das linhas que irão convergir para Rodoviária, nessa rota, é a que se encontra em frente ao Banco Central.

 

O que o Governo está fazendo para melhorar a mobilidade urbana no DF?

O Governo de Brasília lançou em 24 de maio de 2016 o “Circula Brasília” – Programa de Mobilidade Urbana do Distrito Federal, que vem contemplando um conjunto de 80 ações, entre gestão, projetos e obras com o objetivo de melhorar a mobilidade urbana no DF. O Programa foi concebido com três focos principais:

 

  • Melhorias no sistema de transporte coletivo;
  • Ampliação da infraestrutura;
  • Investimento na mobilidade ativa.
  • Circula Brasília dá prioridade a investimentos em transporte coletivo (ônibus, metrô e VLT) e em transporte não motorizado (bicicletas e a pé). As medidas a serem adotadas visam à melhoria da integração entre os meios de transporte, a requalificação urbana (construção de calçadas e de ciclovias), a adoção de novas tecnologias e a valorização da acessibilidade.
  • Saiba Mais: http://editais.st.df.gov.br/programa/arquivos/apre_p.pdf
  •  

O que o Governo está fazendo para melhorar a ciclomobilidade no Distrito Federal?

O Governo lançou em 9/8/2017 o Plano de Ciclomobilidade de Brasília “+Bike” e, dentre as diversas medidas que estão sendo realizadas para melhorar a mobilidade não motorizada no DF (a pé, de bicicleta, patins, skate e demais), destaca-se a ampliação de ciclovias, integração com outros transportes e a ampliação do sistema de bicicletas públicas Conheça o Plano na íntegra:  http://www.maisbikecompartilhada.com.br/

  •  

Qual o procedimento em caso de acidentes com os passageiros do ônibus durante a viagem?

A principal providência a ser tomada em relação a qualquer acidente ocorrido durante a viagem de ônibus, inclusive no embarque ou desembarque, é registrar um Boletim de Ocorrência junto à autoridade policial. O passageiro poderá, ainda, solicitar o ressarcimento dos danos sofridos à empresa operadora.  A conduta do motorista será apurada e medidas disciplinares poderão ser aplicadas. Além disso, a Subsecretaria de Fiscalização, Auditoria e Controle – Sufisa adotará as providências estabelecidas na legislação vigente, como autuações, notificações e emissão de termos de auditoria fiscal direcionados às concessionárias e permissionárias responsáveis pela execução dos serviços.

  •  

Posso levar um animal no ônibus?

Somente é permitida a presença de cão-guia nos veículos do Sistema de Transporte Público Coletivo do Distrito Federal – STPC/DF. É proibida a condução de quaisquer outros animais ou mesmo plantas no interior dos veículos, configurando infração grave prevista no Código Disciplinar Unificado do STPC/DF.